quarta-feira, 8 de julho de 2009

Salém, o gato preto.



(Meu querido gato preto Salém) que tem em seu interior o mundo de profusão de cores
e a singeleza dos cinzas.)

Salém é um grande companheiro e amigos virtual, um rapaz jovem e de extrema intensidade em tudo que expressa, seja em verso, em prosa ou em traçados.

A imagem acima é de sua criação e este poema em especial ele consegue resumir

á La Sartre a o inferno de ser o outro.
Parabéns amigo.



O OUTRO É FUGA

O outro é fuga
Um volver-se para fora
Um virar as costas,
FUGIR!

Não-se-ver-sabendo, fingir.
Negar a própria face,
Traduzir o para-si em despretensões falaciosas

O outro é fuga -
O galho para o imaturo,
o Mole, di'pútrido ulterior

Para o insustentável
Para aquele que
/escora-se no olhar do Tu
Na piscante admiração
Estelar contemplar
Momentum efêmero de admiração
O outro é fuga
é Corda rebolante
Na qual debalde lançamos mão
Para suster nosso passo

O outro é o Nada -
a ante-câmara que encontramos
em nosso


interior.

Para o qual nos lançamos,
com o intuíto de não cair-em-si.
De atrasar nossa inexorável
não-presença interior.

Samuel Cruz

FONTE: http://paraisomental.wordpress.com/

2 comentários:

Sheep disse...

Agradeço imensamente, Mari!
Umm grande abraço!

Maria Betânia disse...

Tua modéstia o impede de dar-se a conhecer e ao mesmo tempo priva muitos de conhecerem tua grandeza.

Você é especial.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...